Notícias

As nossas iniciativas são divulgadas aqui. Pode acompanhá-las na sua caixa de e-mail subscrevendo a nossa newsletter e visitando os nossos canais.
EPÍLOGO

O povo da freguesia de Amor decidiu. Está decidido. Dois meses decorridos da apresentação da nossa candidatura, o desiderato não foi conseguido e a vitória foi para a concorrência.

Ao PS e às pessoas que aceitaram fazer parte da lista de apoiantes do partido, os nossos parabéns pelo resultado.

Os eleitores de Amor quiseram apostar na continuidade do mandato dos últimos quatro anos. Decidiram que a freguesia devia manter o rumo do executivo anterior e a política adoptada no seu mandato.

A nossa candidatura encerra, portanto, este ciclo e fará a avaliação que se impõe para dela se extraírem as normais consequências.

Entretanto:

— não recusaremos a nossa condição de participantes ativos na nossa comunidade;

— nem nos demitiremos da obrigação de escrutinar o trabalho daqueles que aceitaram governar esta pequena parcela do país.

Significa que continuaremos a dar o nosso contributo para que a Freguesia cresça, se desenvolva em todas as áreas estratégicas que apresentámos e possa vir a ser uma referência de qualidade de vida.

Temos pena que algumas das nossas propostas não venham a ser integradas no programa do futuro executivo. Ficamos todos a perder, porque acreditamos que seriam iniciativas que iriam alavancar definitivamente o futuro da Freguesia. E a prova disso é que, nesta campanha apresentámos e realizámos ideias que irão marcar definitivamente o nosso futuro e servir de referência para os tempos mais próximos. Orgulhamo-nos disso e Amor deve orgulhar-se de ter tido uma candidatura assim.

Viva Amor.

Ler Mais
Ciclo de fóruns fecha em beleza

Ontem realizámos o último de uma série de fóruns para discutir a nossa Freguesia, no pavilhão desportivo da associação dos Barreiros.

Fechámos o ciclo em beleza, ou não fosse o painel integralmente constituído por mulheres, mulheres de força, garra, caráter, resilientes... Como o são isso tudo as mulheres da nossa terra.

O Fórum Viver Amor foi um marco: pela primeira vez os amorenses puderam assistir a uma iniciativa sem par, sem constrangimentos ideológicos e partidários e sem... sair de casa.

Neste capítulo demos cartas e esperamos fazer "jurisprudência", abrindo a porta para novas realizações congéneres. Pela experiência que fizemos, basta querer, ter vontade, sonhar, que a obra nascerá.

Obrigado a todos os que se dispuseram a dar a cara pela Freguesia. Obrigado a todos os que intervieram, mesmo à distância.

Ler Mais
Álvaro Madureira esteve em Amor e apontou o dedo à gestão caótica da Câmara Municipal

Na noite de 8 de setembro, os membros da da lista de Joaquim Margarido à Junta de Freguesia de Amor juntaram-se na sede do Grupo Desportivo do Casal Novo para uma reunião com Álvaro Madureira, candidato à Câmara Municipal de Leiria. Estiveram também a acompanhá-lo Branca Matos, Sandra Domingues e Licínio Moreira, também estes candidatos à vereação do município.

Tendo sido o primeiro encontro do género, ele serviu essencialmente para perceber o programa eleitoral do candidato a Câmara de Leiria e explorar formas de sintonização da campanha. Um dos pontos de agenda foi também a avaliação do estado da freguesia de Amor e a identificação das suas mais prementes necessidades.

Álvaro Madureira começou por exprimir a necessidade de se ter uma profissão para se poder estar livre na política. "Quem depende da política, acaba por tomar opções de forma a manter-se no poder", afirmou, complementando a sua apresentação com a partilha de um objectivo pessoal: "estamos aqui para fazer o melhor para os outros".

O candidato referiu conhecer bem a equipa do Joaquim Margarido. Embora tenha confessado que Amor seja uma das freguesias que conhece menos e ainda estar a criar laços com a população, afirmou que "a vossa equipa é de excelência".

Depois da apresentação, passou a identificar alguns problemas da Freguesia que também mereceram uma intervenção da sua parte em sede própria. "Posso dizer que, relativamente à ponte que alargaram recentemente [nos Barreiros], fui das pessoas que mais insistiu para que essa obra fosse feita", informou, acrescentando que era um local por onde passava muito frequentemente e que já há muito considerava um dos pontos negros. A par desta obra, também tem havido da parte dele uma insistência junto das autoridades competentes para a requalificação do acesso à A17 pela Ortigosa.

Mudando de assunto, referiu que "Amor tem uma excelente água, e muita dessa água é para uso na cidade, por gente que não é de cá". Considera ser uma injustiça e uma falta de sentido de gestão que "a câmara de Leiria pague às Águas do Centro Litoral para vir buscar aqui água, e a população não ter retorno nenhum". Segundo a sua opinião, "temos de exigir contrapartidas". A propósito de águas, e no que diz respeito ao rio Lis, frisou que "a maioria da contaminação do rio Lis é de esgotos da cidade", sendo que são as populações da periferia, como a Freguesia de Amor que acabam por sofrer as consequências.

No que diz respeito ao sector da saúde, para além de ter informado que o Hospital de Leiria está sobre aproveitado, havendo alturas do ano em que parece uma zona de guerra, manifestou a sua preocupação pelos funcionários que têm trabalhado até á exaustão. "Temos de apostar na saúde, é um bem essencial", afirmou. Neste sector, acusou a Câmara de Leiria de não querer assumir o compromisso de ficar com a gestão das unidades de saúde familiar e centros de saúde, para se descartar da responsabilidade do mau funcionamento destas unidades.

Relativamente ao Plano Diretor Municipal (PDM), alertou para o facto de muitos terrenos onde se pode construir no presente, vão deixar de ter essa possibilidade no próximo ano. "Querem por as pessoas a viver em apartamentos caros na cidade", desmascarou, acrescentado que "há aqui uma especulação enormíssima controlada por grupos". Na área da construção, revelou ainda que a Câmara de Leiria é das piores em termos de prazos de licenciamento.

O tempo deu ainda para abordar a gestão de mercado municipal que, no entender de Álvaro Madureira, tem sido caótica. Lembrou as obras mais recentes tais como a da avenida Heróis de Angola, da avenida de Nossa Senhora de Fátima e do Mercado Municipal. Só nestes três exemplos verificaram-se derrapagens de milhões de euros, porque não houve estudos prévios feitos com competência. O caso da avenida Heróis de Angola é um dos exemplos mais flagrantes de gestão danosa em que se rejeitou a comparticipação em cerca de sete milhões de euros de fundos comunitários a fundo perdido para a sua estabilização. Como resultado, aquela artéria sofreu uma operação de cosmética que não resolveu os seus problemas estruturais que, mais tarde ou mais cedo, acabarão por se manifestar, pondo em risco a vida das pessoas que aí passam todos os dias.

Ler Mais
Segunda edição do FÓRUM juntou empresários da Freguesia

Depois da novidade que foi a realização do primeiro FÓRUM VIVER AMOR, a candidatura de Joaquim Margarido / PSD à Junta de Freguesia, repetiu a iniciativa pela segunda vez.

Na noite de domingo, 22 de agosto, a sede do Clube Recreativo e Cultural 22 de Junho, de Amor, foi o palco escolhido para acolher os empresários convidados para debaterem sobre assuntos relacionados com as suas actividades. Estiveram representadas as empresas IMV, Coviran, Sondalis e PTelemóveis, respectivamente por Amorim Alves, Carlos Domingues, Jorge Cordeiro e Luís Duarte.

De acordo com as palavras do apresentador do serão, este evento "está inserido num conjunto de conversas com grupos representantes de várias sensibilidades da Freguesia, numa agenda de aproximação ao cidadão, em linha com a nossa orientação estratégica". Acrescenta que é intenção fazer a auscultação "das suas perspectivas, dos seus receios, das suas ideias, sem qualquer filtro e sem qualquer condicionamento político".

O evento estava aberto ao público, mas foi especialmente preparado para ser transmitido em directo pelos canais digitais, nomeadamente o Facebook e o YouTube.

Está previsto haver, pelo menos, mais uma edição do FÓRUM e com outros protagonistas, cuja informação, será, a seu tempo, divulgada nos canais de informação da candidatura.

A segunda edição pode ser revista nesta ligação: https://youtu.be/zQObLi2Qpbw?t=1310

Ler Mais
FÓRUM VIVER AMOR: terceira edição só com mulheres

IMPORTANTE: se quiser assistir ao vivo, deve fazer a sua inscrição no formulário que de encontra em baixo.

A candidatura de Joaquim Margarido à Junta de Freguesia de Amor vai organizar a terceira edição do FÓRUM VIVER AMOR. Esta iniciativa, a realizar no pavilhão desportivo da colectividade dos Barreiros, está aberta ao público que também poderá assistir em direto pelo Facebook e Youtube. Por ter as limitações impostas pela pandemia, será necessária a inscrição de quem estiver interessado em assistir no local.

Este Fórum Viver Amor é a terceira edição de um conjunto de debates e pretende fazer uma avaliação do estado da Freguesia nos diversos sectores da sociedade. Em cima da mesa estará a discussão sobre os aspectos positivos e negativos desses mesmos sectores. No caso desta edição, vai ser dada a primazia à voz das mulheres da Freguesia.

A ideia que presidiu à realização desta iniciativa, é sustentada por duas razões: pretende-se ouvir alguns quadrantes da sociedade amorense que habitualmente são esquecidos durante as campanhas eleitorais, para depois adicionar ao programa eleitoral as ideias fortes sugeridas pelos protagonistas desses debates.

Inscrição para assistir ao vivo

[contact-form-7 id="424" title="Participar no Fórum"]

Ler Mais
Escalas de Complexidade e Relevância: sonhar com os pés assentes na terra

Quem acompanha a nossa candidatura, já percebeu que o nosso plano eleitoral tem uma dimensão pouco habitual, podendo ser descrito como utópico. A verdade, é que é a aposta firme nos nossos sonhos que os podem converter em realidade, seja ela a curto, médio ou longo prazo. Mas também temos a consciência de que a realização de muitos desses sonhos dependem de condições externas, tanto a nível financeiro como de decisão de instâncias superiores.

O facto de termos tido um cuidado especial na formulação das propostas - que nos obrigou a escolher bem o verbo que acompanha cada uma delas para não cairmos na popular desonestidade de prometer o irrealizável - não nos satisfez. Faltava mais. Os eleitores merecem saber todos os contornos que implicam cada uma das propostas.

Assim, criámos duas bitolas a que demos o nome de ESCALAS DE COMPLEXIDADE e RELEVÂNCIA. Estas duas formas de medição têm uma representação infográfica de cinco níveis, do menor para o maior.

A ESCALA DE COMPLEXIDADE, como o próprio nome indica, mede o grau de dificuldade de execução de uma proposta. O nível desta escala é o reflexo de vários factores que intervêm na realização da obra final, tais como custo financeiro, prazos de execução e intervenção de instâncias superiores. Poderemos identificar cada um dos níveis da seguinte forma:

  1. Muito fácil execução a curto prazo (primeira metade do mandato).
  2. Fácil execução a curto prazo.
  3. Execução de dificuldade média, a médio prazo (segunda metade do mandato).
  4. Difícil execução a médio prazo.
  5. Muito difícil execução a longo prazo (mandato(s) posterior(es))

Já a ESCALA DE RELEVÂNCIA pretende fazer a avaliação da importância para a Freguesia das propostas apresentadas. Como na escala anterior, também esta avalia vários parâmetros tais como: área da Freguesia e quantidade de habitantes que as propostas visam, e benefícios de ordem financeira ou outra. Os níveis são os seguintes:

  1. Número de destinatários muito reduzido; muito pouco benefício.
  2. Número de destinatários reduzido; pouco benefício.
  3. Número de destinatários médio (equivalente a uma localidade); benefício médio.
  4. Número de destinatários alto (equivalente a mais de uma localidade); benefício alto.
  5. Número de destinatários máximo (equivalente à Freguesia); benefício muito alto.

Exemplo:

Complexidade
Relevância

Neste exemplo gráfico, temos uma proposta com COMPLEXIDADE de nível 3 e RELEVÂNCIA de nível 4. Significa que é uma proposta cuja execução se prevê na segunda parte do mandato e que beneficiará mais do que uma localidade da Freguesia, ou seja, um benefício muito alto.

Ler Mais
FÓRUM adiado para 22 de agosto

O mês de agosto traz as férias. E as férias trazem mudanças de planos. Por boas razões, diga-se. E foi por isso que decidimos mudar a data da segunda edição do FÓRUM VIVER AMOR. Apontem nas vossas agendas que, desta vez, temos a presença garantida de todos os nossos convidados. Vai ser no domingo à noite, no dia 22 de agosto. O local é o que estava previsto e, também, como previsto, vamos transmitir em direto.

Até lá, aproveitem o sol, a praia e a natureza. Nós vamos aproveitar para fazer um bom serviço à nossa comunidade.

Ler Mais
FÓRUM VIVER AMOR: segunda edição já tem data marcada

IMPORTANTE: se quiser assistir ao vivo, deve fazer a sua inscrição no formulário que de encontra em baixo.

A candidatura de Joaquim Margarido à Junta de Freguesia de Amor vai organizar no próximo dia 22 de agosto a segunda edição do FÓRUM VIVER AMOR. Esta iniciativa, a realizar desta vez na sede do CRC 22 de Junho - Amor, está aberta ao público que também poderá assistir em direto pelo Facebook e Youtube. Por ter as limitações impostas pela pandemia, será necessária a inscrição de quem estiver interessado em assistir no local.

Este Fórum Viver Amor é a segunda edição de um conjunto de debates e pretende fazer uma avaliação do estado da Freguesia nos diversos sectores da sociedade. Em cima da mesa estará a discussão sobre os aspectos positivos e negativos desses mesmos sectores.

A ideia que presidiu à realização desta iniciativa, é sustentada por duas razões: pretende-se ouvir alguns quadrantes da sociedade amorense que habitualmente são esquecidos durante as campanhas eleitorais, para depois adicionar ao programa eleitoral as ideias fortes sugeridas pelos protagonistas desses debates.

Inscrição para assistir ao vivo

[contact-form-7 id="424" title="Participar no Fórum"]

Ler Mais
Comunicação e Proximidade

Na lógica do que nos deve diferenciar, esta área é uma das maiores oportunidades de melhoria substancial relativamente ao passado recente: a comunicação e transparência da Junta de Freguesia para com os seus munícipes. Nesta área de actuação, aposta-se na cidadania efectiva com a criação de espaços para dar voz e oportunidade de intervenção ao cidadão, incluindo-o em todos os processos e tomadas de decisão.

Apoiar e reforçar o papel do jornal AmorMais. Feliz da comunidade local que dispõe dum meio de imprensa escrito, feito exclusivamente a pensar na freguesia e nos seus habitantes. Conscientes deste facto, é nossa intenção a consolidação do jornal, que deve passar a ser também utilizado como um dos meios de comunicação oficiais da JFA para com os seus utentes, através da aquisição dum espaço da responsabilidade da JFA em cada edição.

Complexidade
Relevância

Criar gabinete de comunicação com o freguês. Na lógica da proximidade e transparência, pretendemos criar um gabinete de comunicação que se encarregará de esclarecer dúvidas e de divulgar informação de interesse público, seja estado de projetos em curso, orientação estratégica, discussões relevantes em sede de Assembleia, etc… Entendemos esta medida como crítica, na medida que é a forma de prestarmos contas a quem nos elegeu.

Complexidade
Relevância

Dinamizar fórum cívico para discussão dos assuntos relevantes à freguesia. É nossa intenção a promoção dum evento regular para discussão aberta dos grandes temas da freguesia. Esse fórum terá a representação das associações da freguesia, das empresas, do comércio, das escolas, da paróquia, da Junta e de cidadãos em representação da população geral. A sua agenda deverá ser participativa e dele poderão sair delegações mandatadas para discussão de problemas da freguesia com outras instituições.

Complexidade
Relevância

Criar portal do freguês. Para garantir um canal direto, com a comodidade do digital, para o freguês poder comunicar com o executivo da sua freguesia, deve ser criado um portal online com o objetivo de esclarecer questões, passar informação e, mais importante, permitir que o cidadão possa apresentar as suas reclamações, alertas e pedidos diretamente ao executivo.

Complexidade
Relevância

Criar programa televisivo online, para esclarecimentos ao cidadão. Na lógica da oportunidade criada pelo digital, a Junta deverá ter também um canal institucional na plataforma Youtube, com produção regular de vídeos.

Complexidade
Relevância

Actualizar as plataformas digitais de comunicação e respectiva dinamização adaptada aos paradigmas actuais. Inclui o site institucional da Junta de Freguesia que está completamente desactualizado e com evidentes más opções nos conteúdos disponíveis. Inclui também as redes sociais, pela mesma razão e por não darem respostas em tempo útil ao cidadão. Consideramos não haver uma gestão efectiva e criteriosa destas ferramentas.

Complexidade
Relevância

Implementar parcerias com os canais digitais de instituições relevantes na Freguesia. Estas parcerias  passam por, a título de exemplo, fazer publicações cruzadas de diretos.

Complexidade
Relevância

Transmitir as sessões da Assembleia de Freguesia em direto nas plataformas digitais por forma a integrar os cidadãos nos formais espaços públicos decisores e de discussão política.

Complexidade
Relevância
Ler Mais
Solidariedade e Ação Social

Um dos maiores desafios futuros de qualquer comunidade é a crescente necessidade de resposta social, seja pelo envelhecimento da população, seja pelas crises económicas que arrastam sempre um conjunto de pessoas para situações de carência social. Assim, é também responsabilidade da Junta de Freguesia preocupar-se com este tema, procurando encontrar respostas adequadas.

Manter e reforçar o apoio às instituições sociais existentes. A Freguesia contém duas IPSS (APIFA e CENSOCAPA), sendo necessário manter e reforçar o apoio público a estas instituições, na medida em que são as estruturas mais capacitadas para dar resposta às necessidades sociais da freguesia.

Complexidade
Relevância

Apoiar a criação de novas valências sociais e ampliação das existentes. Existindo projetos de ampliação da atual oferta de valências ou de criação de novas valências (p.e. creche), as IPSS devem sentir-se apoiadas, seja no diálogo com a autarquia, seja na procura ativa de fundos e na articulação e coordenação com outras estruturas semelhantes.

Complexidade
Relevância
Ler Mais

Newsletter

As nossas notícias no seu email  em primeira mão.

    Nome

    E-mail

    Sim, aceito que o meu email integre a vossa lista de contactos.

    WHATSAPP
    FACEBOOK
    INSTAGRAM
    NEWSLETTER
    YOUTUBE